terça-feira, 27 de novembro de 2012

QUE SAUDADES EU TINHA DE TI




Fui ao sótão das memórias
Remexi caixas e caixinhas,
Inventei jogos e danças
E brinquei às casinhas.

Fui filhinha e fui mãe
Nessa terra que inventei
Da mulher me esqueci
E em criança me tornei.


Essa criança encontrada
Sorri entre jogos e danças
Tão depressa é senhora,
Como menina de duas tranças.

Que saudades, meu Deus!
Saudades que tinha de ti,
Menina irrequieta, traquina,
Menina que um dia esqueci…

De Maria La-Salete Sá (19/11/2012)

Sem comentários:

Enviar um comentário