domingo, 29 de setembro de 2013

PÁSSARO-ESPERANÇA



 Queria ouvir a tua voz, passarinho verde
que antes me seduzias com o teu trinar.

Porque calaste teu canto?
Porque cessaste teu voo?
Não vês que está vazio o teu lugar?
Não ouves o silêncio que te reclama?

Não ouves... e sei que estás só...,
só, triste e indeciso.

Não tenhas medo de voar,
de cantar,
de te libertar.
Sabes que em meu braço poisarás,
se assim o desejares,
em mim terás guarida
e ensinar-me-ás a cantar...

Solta-te, não temas,
quero ver-te voar,
ouvir junto a mim o teu trinar,
meu pássaro verde...

...hoje anónimo,
amanhã chamado ESPERANÇA.

De Maria La-Salete Sá (16/06/1993 01:35 h)

Sem comentários:

Enviar um comentário